associação comercial e industrial de arcos de valdevez e ponte da barca

Melhorar a Autoestima no contexto profissional

in Notícias Gerais
Criado em 15 abril 2021

Saiba o que pode fazer para trabalhar a autoestima e entenda porque é que isso é tão importante para a sua carreira profissional.

Uma carreira de sucesso e uma vida equilibrada passam por trabalhar a autoestima ao longo de toda a vida, aprendendo a lidar com adversidades, com comentários negativos e com tudo o que de menos bom se cruza no caminho e coloca à prova a sua própria força e confiança.

Ninguém nasce com uma autoestima ilimitada e inabalável. Toda a gente precisa de construir a sua “carapaça”, de modo a manter-se firme, especialmente no que à carreira profissional diz respeito, mas não só.

Num mercado cada vez mais competitivo e desafiante não é difícil esvaziar (por completo) a sua autoconfiança. Por isso, é fundamental que a saiba construir, um trabalho que exige (muito) tempo.

O trabalho é uma atividade que exige diariamente de todos nós uma boa saúde mental e emocional. Lembre-se que, para conseguirmos garantir bons resultados, é essencial mantermos o equilíbrio das nossas emoções.

Na verdade, quando o assunto é o meio profissional, podemos mesmo afirmar que a autoestima é tão importante quanto o currículo. Repare, a sua presença ou a sua ausência irão afetar diretamente o desempenho e comprometer a produtividade no trabalho.

Por isso mesmo, é extremamente importante saber trabalhar a autoestima e incentivá-la dentro e fora do trabalho, através de práticas que promovam a satisfação pessoal, a saúde mental e a motivação.

AUTOESTIMA: QUAL A SUA IMPORTÂNCIA?

Sentir-se bem consigo e confiante é fundamental em qualquer circunstância da vida. Alguém que não acredita nas suas capacidades e valor, quer como pessoa, quer como profissional, jamais conseguirá evoluir, sentir-se segura, satisfeita, motivada e, claro está, ser feliz.

Ter uma boa autoestima ajuda a evitar estados de ansiedade e depressão que levam ao bloqueio, à desmotivação e outras dificuldades tais como a baixa produtividade.

Confiança: requisito de sucesso

Uma crítica negativa, uma solicitação de reembolso de um cliente ou uma rejeição simples por parte dos investidores de um projeto, assim como comentários desagradáveis, ainda que bem intencionados, daqueles que estão mais próximos, podem afetá-lo e diminuir a sua autoconfiança. E quando isso acontece vezes sem conta, uma após outra, pode atingir limites preocupantes a diferentes níveis, profissional e pessoal.

Além de todos os fatores externos, acresce a autocrítica e a dúvida que insiste em convencê-lo de que nunca é bom o suficiente. Lembre-se que se não acreditar em si, ninguém acreditará.

Construir uma carreira ou um negócio de sucesso exige uma grande confiança e capacidade de superar obstáculos e de se superar.

A IMPORTÂNCIA DA AUTOESTIMA EM AMBIENTE PROFISSIONAL

Quando não há autoestima, o profissional acredita que não é capaz de corresponder às tarefas que tem para realizar. Assim, sente-se altamente frustrado, afetando o seu desempenho profissional.

Ora, quando esta situação se mantém por longos períodos de tempo, pode-se tornar numa completa bola de neve. Principalmente quando as empresas não têm uma política de promoção de saúde mental e ações que elevem a autoestima dos seus trabalhadores.

Por isso, é crucial que se trabalhe cada vez mais a autoestima em contexto profissional para que todos se sintam motivados, produtivos e mais felizes.

DICAS PARA AJUDAR A TRABALHAR A AUTOESTIMA

Trabalhar a autoestima depende de algumas atitudes que deve ter em consideração. Muitas vezes, a falta de confiança e de autoestima são o resultado de uma postura mental muito negativa.

Independentemente disto, a autoestima pode e deve ser trabalhada. Saiba o que pode fazer para conseguir desenvolver esse aspeto tão importante.

 

Crie uma imagem positiva de si próprio, mas não tente ser perfeito

Crie uma imagem positiva de si próprio, da qual se orgulha e mantenha a mesma presente. Isso vai ajudá-lo a trabalhar a autoestima. Ter uma imagem negativa ou mal definida em nada vai contribuir para alcançar os seus objetivos.

Mas lembre-se: exigir demais de si mesmo pode fazer com que surjam muitas frustrações. Por isso, tenha consciência do que sabe fazer bem e que traz resultados para o seu trabalho. Não procure alcançar níveis de perfeição que poderão prejudicar a sua saúde mental.

 

Afirme-se

As afirmações são declarações positivas que ganham eficácia quando ditas em voz alta e em frente ao espelho. Ouça-se, olhe-se e, acima de tudo, convença-se. Tendemos a acreditar no que dizemos a nós mesmos, constantemente. Portanto, é um exercício relativamente simples que com o tempo surte grandes efeitos.

Para que o seu cérebro aceite as suas afirmações positivas mais rapidamente, expresse-as em perguntas, como “Porque sou tão bom a fazer acordos?” ou “Porque tenho tanta facilidade em gerir projetos?”, por exemplo. 

 

Aprenda a conviver com o erro

Se não errarmos, não evoluímos. Assim, é extremamente importante que saiba conviver com o erro. Afinal errar é humano e é crucial para que surjam novas ideias e projetos.

Ao deixar que um erro afete a sua autoestima só estará a contribuir para um mal estar no trabalho e claro, para uma espécie de confusão mental que se poderá instalar na sua cabeça.

 

Saia da zona de conforto

Não se subestime. Cada pessoa é mais e melhor do que pensa. Não são só os outros que conseguem.

A melhor maneira de superar o medo é enfrentá-lo. A única maneira de se superar, de evoluir, é arriscar, experimentar coisas novas, sair da zona de conforto. Cada experiência vai contribuir para aumentar a sua confiança.

 

Questione a autocrítica

Há muito que se habituou a criticar-se, mas de que lhe serve? Pois bem, tente o contrário. Elogie-se e veja o que acontece.

De facto, alguns dos comentários mais negativos e severos que recebe partem, imagine-se, de si mesmo. Talvez ainda não tenha pensado, seriamente, nisso. Questione-se e procure evidências que apoiem ou neguem os seus pensamentos.

Encontre oportunidades para se elogiar e recompensar mesmo pelas menores conquistas. Vai aprender a gostar de si e ganhar motivação para fazer mais e melhor.

 

Confie nos seus instintos

Esta dica sobre autoestima no trabalho pode parecer um pouco estranha. Mas, a verdade é que se analisar demais ou verificar sempre cada detalhe antes de tomar uma decisão, pode tornar o seu dia a dia demasiado burocrático e stressante. 

Está claro que é importante refletir sobre as decisões que toma, mas em alguns momentos também é necessário acreditar em si mesmo e nos seus instintos.

 

Aceite a rejeição

Acabe com o medo de ser rejeitado pelos outros, sejam eles quem forem. Nesse sentido, pode abraçar um desafio, em jeito de brincadeira, e pedir a várias pessoas que rejeitem as suas ideias, propostas ou até presença.

 

Prepare-se para ganhar

Para elevar a autoestima precisa de se concentrar nas vitórias e não nas falhas. Por vezes, pode sentir-se desanimado por não conseguir alcançar as metas traçadas. A solução pode ser começar por traçar objetivos mais pequenos e ir avançando aos poucos.

Faça uma lista das suas conquistas, grandes e pequenas (principais marcos, projetos, metas e objetivos alcançados) para que se possa lembrar do que já conseguiu ganhar. Isso vai ajudar a trabalhar a autoestima e dar-lhe força para ir mais longe.

 

Cuide de si

Saber cuidar de si próprio nunca é um ato egoísta, mas um princípio básico de bem-estar.

A autoestima depende de uma combinação de boa saúde física, emocional e social. Será muito difícil sentir-se bem consigo mesmo se odeia o seu corpo ou anda constantemente cansado, sem energia.

Ganhe bons hábitos de atividade física, alimentação e sono. A par disso, cuide da sua aparência. Tem apenas de se sentir bem. Isso é tudo.

 

Trabalhe a sua postura

Para trabalhar a autoestima é crucial que mantenha uma postura confiante perante a vida e o trabalho. É perfeitamente normal ter dúvidas assim que toma uma decisão – não há nada de errado nisso.

Mas a sua postura e a forma como o demonstra é que irão fazer toda a diferença. Lembre-se: não há nada como ter autoestima no trabalho com uma atitude positiva.

Experimente passar um dia atento à forma como coloca os seus ombros, a coluna direita e a forma como coloca as mãos quando está sentado a trabalhar. Assim, ao mínimo sinal de desânimo já estará alerta para que nada piore.

 

Ajude alguém

Ajudar alguém permite-lhe esquecer-se de si próprio e valorizar o que tem. Faça voluntariado, seja solidário, apoie alguém em pequenas tarefas. Tudo o que der de si, vai contribuir para a sua autoconfiança.

 

Estabeleça limites

Defina limites a si próprio. Aprenda a dizer “não”. Não aceite que outros se imponham à sua vontade. Quanto mais assertivo conseguir ser e mais controlo assumir sobre o que quer e o que pode fazer, maior será a sua autoconfiança.

Fonte: e-konomista.pt, 15/4/2021