associação comercial e industrial de arcos de valdevez e ponte da barca

Transferências em 10 segundos

in Notícias Gerais
Criado em 11 dezembro 2020

Muitos bancos em Portugal e na Europa já permitem que os clientes façam transferências e pagamentos imediatos. O valor limite para cada transação, harmonizado a nível europeu, subiu para 100 mil euros.

Nunca lhe aconteceu ter de ir a correr ao banco para fazer um depósito, em dinheiro, numa outra conta? Isto acontecia porque as transferências entre bancos diferentes levavam, pelo menos, um dia. Desde 2018, as transferências entre bancos já podem ser imediatas.

A solução foi desenvolvida pela SIBS em Portugal e apresenta inúmeras vantagens. Este tipo de operação pode ser usado por particulares, empresas ou instituições públicas no pagamento de serviços ou na transferência de dinheiro, tudo em apenas dez segundos. A rapidez não é meramente simbólica, uma vez que a operação até é anulada se ao fim de 20 segundos não tiver sido concluída - devido a problemas de rede, por exemplo.

A adesão dos bancos a este serviço tem custos associados, pelo que nem todos os bancos oferecem esta solução aos clientes. Dos aderentes, a maioria tem o serviço disponibilizado no homekanking ou nas respetivas apps. As comissões aplicadas aos clientes variam habitualmente entre 0,5€ e 2,5€, mas podem ser superiores em alguns bancos.

O método de funcionamento é simples. Quando alguém quer fazer uma transferência imediata, ao colocar o IBAN da conta bancária do destinatário deverá perceber logo se o outro banco é aderente ou não a este sistema. E deve aparecer também o preçário da operação. 

O valor limite de cada transação começou por ser de 15 mil euros, mas subiu em 2020 para 100 mil euros, de forma harmonizá-lo com o sistema bancário dos outros países europeus. Isto porque as transferências imediatas são possíveis para contas fora de Portugal também, desde que a instituição do destinatário da transferência seja aderente. Todo o espaço SEPA - 36 países europeus, incluindo todos os 27 estados-membros da UE - está abrangido.

Fonte: contasconnosco.pt, 9/12/2020