associação comercial e industrial de arcos de valdevez e ponte da barca

Transferir dinheiro dentro da União Europeia vai ser imediato e mais barato a partir de terça-feira

in Notícias Gerais
Criado em 16 novembro 2017

Inicialmente, o Banco Central Europeu previa implementar o sistema TIPS em novembro do próximo ano.

As transferências bancárias das contas de países da União Europeia vão ser instantâneas e com menos custos a partir da próxima terça-feira, 21 de novembro. Inicialmente, o Banco Central Europeu (BCE) previa implementar o sistema TIPS (Target Instant Payment Settlement) em novembro do próximo ano.

comunicado do regulador divulgado no final de junho dava conta de que o sistema entraria em vigor em novembro de 2018, mas o jornal espanhol El Mundo avança que a mudança vai acontecer já na próxima terça-feira, 21 de novembro. “O TIPS, enquanto parte do TARGET2, ajudará a facilitar as transferências imediatas de fundos, disponibilizadas pelos bancos, para que os cidadãos e as empresas possam efetuar pagamentos de retalho imediatos em toda a Europa”, argumentou o banco liderado por Mario Draghi.

Na altura em que anunciou a medida, o Conselho do BCE divulgou a decisão de desenvolver um novo serviço de liquidação de pagamentos imediatos que permite aos cidadãos e às empresas transferir dinheiro em tempo real 24 horas por dia, durante todo o ano.

“O serviço será desenvolvido em cooperação estreita com o setor bancário europeu e será disponibilizado aos bancos a um preço máximo de 0.20 cêntimos de euro (€0.0020) por pagamento, pelo menos, durante os dois primeiros anos de funcionamento”, explicou o Banco de Portugal, acrescentando que o TIPS possibilitaria pagamentos, através seu banco, em qualquer local dos países da moeda única numa questão de segundos.

Atualmente, uma transferência bancária, mesmo que dentro do próprio país, pode demorar um dia e o objetivo da medida do supervisor é o de que a transação possa ser concluída em segundos. No entanto, haverá um limite de 15 mil euros para o valor máximo da transferência entre os cidadãos da União Europeia.

Fonte: jornaleconomico.sapo.pt, 15/11/2017