associação comercial e industrial de arcos de valdevez e ponte da barca

Manutenção e reparação de veículos no IRS: como funciona

in Notícias Gerais
Criado em 24 fevereiro 2023

As faturas de manutenção e reparação de veículos automóveis, permitem uma dedução à coleta de IRS de 15% do IVA suportado.

Incluem-se aqui, por exemplo, tanto o valor da mudança de pneus, como o valor dos próprios pneus. Ambos contam para aquela dedução.

Isto porque os bens incorporados no serviço de manutenção e reparação fazem parte do serviço de manutenção e, como tal, relevam para a dedução à coleta prevista.

Contudo, se os pneus forem adquiridos separadamente do serviço, ou se for apenas comprar pneus, o valor suportado na respetiva aquisição já não confere esse direito.

Esta é uma das chamadas deduções por exigência de fatura. A inspeção automóvel não pode ser inserida no IRS nesta categoria, uma vez que não se trata de manutenção e/ou reparação de veículos.

 

Dedução máxima de 250 euros

Ao pedir faturas destes serviços, com o seu NIF, pode deduzir até 250 euros do IVA suportado. Estes 250 € são o teto global máximo da dedução fiscal, para todo o agregado familiar, por exigência de fatura em determinados setores e não apenas na reparação de automóveis. O setor da manutenção / reparação de veículos permite uma dedução de 15% do IVA suportado.

 

Os setores e respetivas percentagens de IVA suportado, que são dedutíveis são os seguintes:

 

Como calcular o benefício nas faturas de reparação automóvel

Num serviço de revisão da viatura, a título de exemplo, com um custo total de 245 €, o benefício fiscal será de 6,87 €.

Como calcular? Primeiro, há que saber por quando ficaria o serviço sem IVA para descobrir quanto pagou de imposto. Depois aplicar-lhe a dedução de 15%:

  • valor do serviço sem IVA = 245,00 / 1,23 = 199,19;
  • valor do IVA suportado = 245 - 199,19 = 45,81 €
  • dedução à coleta = 15% do IVA suportado = 15% x 45,81 = 6,87 €

Neste caso, a dedução à coleta de IRS seria de 6,87 €.

 

Qual a despesa necessária para a dedução máxima

A dedução máxima é de 250 euros. Mas este limite global aplica-se a setores, cujas faturas podem ter taxas de IVA distintas. Por outro lado, a percentagem que se pode deduzir do IVA suportado é também diferente conforme o setor.

Imaginemos um exercício hipotético. Se todas as despesas fossem referentes a reparação de automóveis e todas tivessem IVA a 23%. Com um teto máximo de 250 euros para abater, seria possível deduzir estes 250 € se a despesa fosse de:

  1. Apuramento do IVA suportado total: 250 / 15% = 1.667 €
  2. Para uma taxa de 23% de IVA, então a despesa teria que ser de: 1.667 € / 23% = 7.246 €

 

Vamos confirmar "andando ao contrário":

  1. Despesa com manutenção de veículos sem IVA: 7.246 €;
  2. Cálculo do IVA à taxa de 23%: 7.246 x 0,23 = 1.667 €;
  3. Dedução de 15% do IVA suportado: 15% x 1.667 = 250 €

Como interpretar a informação do e-fatura no setor da reparação de automóveis

 

Vamos analisar o seguinte exemplo concreto. O que nos diz a AT?

A AT mostra-nos a despesa total (o valor total das faturas de 80 €), a qual inclui o IVA, diz-nos qual o IVA pago (14,96 €) e ainda qual a dedução em IRS (2,24 €). Vamos fazer as contas da AT:

  1. O contribuinte gastou 80 € neste setor: valor da despesa total, que inclui IVA;
  2. Vamos calcular o valor da despesa sem IVA: 80 / 1,23 (porque a taxa é de 23%) = 65,04 €;
  3. Valor do IVA suportado: 65,04 x 23% = 14,96 €
  4. Dedução em IRS de 15% do IVA suportado: 15% x 14,96 € = 2,24 €

Fonte: economias.pt, 23/2/2023