Imprimer

Faturas dos combustíveis têm de referir “desconto” dado pelo Governo

in Notícias Gerais
Création : 21 septembre 2022

A partir de outubro as faturas de combustíveis têm de discriminar o “desconto” dado pelo Governo.

Saiba como verificar esta situação.

Se tem um carro para abastecer, saiba que a partir de 1 de outubro vai poder verificar nas faturas de combustíveis o valor do desconto do ISP (Imposto sobre Produtos Petrolíferos) decorrente da devolução da receita adicional do IVA (Imposto sobre valor Acrescentado).

 

Como e porque surge esta medida?

Numa altura de inflação elevada em vários bens e serviços, com especial destaque para o setor da energia, o Governo anunciou alguns apoios aos consumidores. Neste caso, o objetivo passa por atenuar os efeitos da subida de preços.

Ou seja, a decisão de prolongar o apoio surge numa altura em que assistimos a uma grande variação de preços na gasolina e no gasóleo.

Em suma, esta medida surge como resultado do alargamento temporal das medidas de apoio aos combustíveis, isto é:

 

"Desconto" nas faturas dos combustíveis: o que nos traz esta medida?

Com esta medida, todas as faturas de combustíveis passam obrigatoriamente a indicar o valor de redução temporária ao nível da carga fiscal, ficando esta parte descriminada sob o título “Redução ISP+IVA” na fatura.

De acordo com o diploma publicado a 7 de setembro último, em Diário da República, “as faturas e documentos equiparados relativos às transmissões, efetuadas no continente, de gasolina sem chumbo e gasóleo rodoviário” deverão conter separada e adicionalmente, “a menção obrigatória” de dois valores:

Por outras palavras, quando for atestar o depósito do seu carro e receber a fatura, deve verificar sempre o valor cobrado sem e com a aplicação da redução do ISP.

 

Quais os pressupostos desta medida?

Em primeiro lugar, esta medida assenta em dois pontos:

 

Clarificação do desconto nas faturas de combustíveis

Segundo o referido diploma "cabe assim aos operadores refletir integralmente as reduções temporárias da carga fiscal sobre os combustíveis nos consumidores finais. Tal tem tem vindo a ocorrer, sucessivamente, ao nível das taxas unitárias do imposto sobre os produtos petrolíferos e energéticos aplicáveis, no continente, à gasolina sem chumbo e ao gasóleo rodoviário".

 

Até quando vigora esta medida?

Está previsto que esta medida dure até ao final de 2022.

 

Faturas dos combustíveis: qual o reflexo dos descontos nas contas?

De acordo com o Governo, como exemplo, num depósito de 50 litros, os consumidores vão ter uma redução de:

Importa ainda recordar que o Governo decidiu prolongar até ao final do ano:

Fonte: doutorfinancas.pt, 21/9/2022